A febre das lojas virtuais

 Instagram virou  ponto certo para “abrir” lojas de todos os estilos

 

Há muito tempo que a comercialização de roupas e acessórios pela internet virou sucesso, mas não é só os sites de loja famosas que têm resultado nas vendas. A grande aposta do momento é vender pelas redes sociais, como Facebook, Whatsapp e, principalmente, o Instagram. Além do baixo custo, os vendedores alcançam públicos de todo o País, e até do mundo. 

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o setor de e-commerce (comércio eletrônico) registrou um faturamento de R$ 35 bilhões no primeiro semestre de 2019, um crescimento de 16% em relação ao ano passado. Isso em toda a internet. 

Focando nas redes sociais, em junho deste ano o Instagram divulgou o alcance de 1 bilhão de usuários ativos na rede, tendo mais de 2,5 milhões de anunciantes pelo mundo, com lojas virtuais de diversos estilos. A canoinhense Larissa do Valle faz parte dela. 

Larissa trabalhou seis anos como vendedora em uma loja física e decidiu sair do emprego. “Um certo dia um representante de joias passou em minha casa e falou ‘aqui mora uma vendedora’. Papo de vendedor que colou e hoje entro no meu quarto ano como autônoma vendedora de joias e semijoias. 

A transição de funcionária para chefe melhorou sua qualidade de vida. “Hoje faço o meu horário e minhas metas de vendas, e o que arrecado no final do mês é maior do que quando eu trabalhava a semana e o dia todo”. 

Larissa divulga as joias e semijoias pela sua página no Facebook e no Instagram e faz as entregas na casa das clientes. “A divulgação do meu trabalho nas redes sociais ajuda muito. As pessoas escolhem por foto e eu só entrego, poupando tempo dos dois lados”. 

 

Poupar tempo é o que Natasha da Silveira prioriza quando o assunto é comprar roupas. “Já tenho minhas páginas e contas preferidas de lojas online, e quando vou para alguma ocasião especial de última hora e quero comprar algo novo, já sei onde posso achar sem perder tempo”. 

Para ela, o crescimento das lojas online se torna importante em vários aspectos aos consumidores, melhorando as ofertas em valores e aumentando a variedade de comercialização. “Temos acesso a tudo que queremos na palma da nossa mão. Mas imagino que são muitas vantagens para quem vende também, pois vejo muitas pessoas próximas criando suas lojas virtuais e obtendo crescimento financeiro, se tornando uma boa renda extra”. 

 

Que é o caso da estudante de Publicidade e Propaganda, Kimberly Plitz, que iniciou sua lojinha virtual há um mês. Ela conta que teve a ideia de criar a loja, comprando roupas online. “Estava pesquisando as roupas do estilo que eu gostava e percebi que tinha apenas online, fora da cidade e com preços muito altos. Recebi um anúncio no Instagram de um fornecedor de roupas no atacado bem nesse estilo, e não deu outra, logo pensei em começar uma Loja”. 

Kimberly acredita que a rede social tem alto potencial de engajar um grande público. “Como estou no começo utilizo apenas o Instagram para divulgar e vender, uma rede em que a venda de varejo de roupas está muito em alta”.

Ainda uma loja em fase de testes, como ela descreve, seus projetos são expandir o estoque e aumentar a venda online.

 

As lojas virtuais oferecem diversas possibilidades de personalizar seu espaço de acordo com o gosto do consumidor alvo, além de deixá-los mais confortáveis, oferecendo melhores preços, da praticidade e do conforto de comprar em casa. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *