Consumismo: Porque as pessoas gastam mais do que ganham?

A sensação de satisfação em fazer compras é o maior inimigo de quem não tem controle na hora de comprar

O consumo em si faz parte do cotidiano de cada pessoa, mas é algo que deve ser controlado, pois  ao contrário no fim do mês a conta fica no vermelho. O aumento do consumo a mais do que necessário se deu em partes pelas lojas que vendem online e com o preço mais “acessível”.

Em 2018 no Brasil, foi realizada uma pesquisa pela consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), que define tendências e características de consumo. Mil pessoas foram entrevistadas no país, 21% delas realizam compras online semanalmente,  41% dos respondentes fazem uso de celulares para suas compras, sejam elas diárias semanais ou mensais. Nos tablets, são 30%, e nos computadores, 58%.

 

Rafaela Schmitka, 23 anos, assessora de vendas

Rafaela Schmitka, 23 anos, assessora de vendas, compartilha do pensamento que só se vive uma vez. “Meus maiores gastos são com lanches, roupas e cosméticos, não consigo me controlar quanto a esses itens, até traço alguns planos para economizar, mas no final não consigo.”

Segundo o site Administradores.com, um dos principais motivos para o consumismo ser grande, é a forma como cada indivíduo foi criado, sendo  a vaidade uma das coisas que os pais passam para o filho. Quando a pessoa atinge certo patamar social, causado pelo aumento na renda, a vaidade faz com que ela faça de tudo para não perder o status que conquistou.

Jaile Ana Machnicki, 22 anos, estudante de direito, conta que seu gasto maior é com coisas pessoais. “Compro muitas roupas, sapatos e maquiagens, só consigo economizar quando tenho um objetivo em curto prazo, aí tento me privar o máximo possível até alcançá-lo”.

Outro grande problema é o tempo que cada pessoa gasta para que a sensação de bem-estar momentâneo, que se dá quando compra algo, automaticamente vai à busca de mais trabalho, e  acaba gastando tudo o que ganha. 

Como consequência disso, o indivíduo acaba não tendo tempo para mais nada. Não tem tempo para fazer uma atividade física regularmente, não tem tempo para praticar um hobby e tem pessoas que não têm tempo nem para os filhos.

Joyce Gonçalves de souza, de 25 anos, atendente de loja

, não se priva de comprar coisas para sua casa. “Eu trabalho nas lojas Americanas, e lá eles liberam o nosso crachá, que serve como um cartão de crédito, e com isso acabo gastando muito em compras dentro da loja mesmo, vai metade do meu salário nisso”. 

O meio ambiente também é prejudicado pelo consumo ilimitado, porque o aumento no volume de mercadorias, não só do lado de quem consome, mas também pelo lado de quem produz, provoca o aumento do volume do lixo.

Rafaela acredita que todo mundo está prejudicando de alguma forma o meio ambiente. “Acredito que todo mundo está consumindo um pouco do meio ambiente, querendo ou não todo ser humano produz lixo ou se beneficia de produtos que fazem mal ao meio ambiente, aqui em casa nós separamos o lixo reciclável do lixo comum, reciclamos latinhas e sacolas plásticas e tentamos utilizar a quantidade necessária de água para as tarefas do dia a dia. São práticas pequenas, mas que todos contribuem.”

O consumo consciente envolve práticas que vão além da aquisição de mercadorias. Não desperdiçar água, separar o lixo sujo do reciclável, preferir alimentos orgânicos são alguns hábitos que envolvem questões de sustentabilidade que ainda geram barreiras.

Jaile Ana Machnicki, 22 anos, estudante de direito

Para Jaile a sociedade tende a ser consumista sem pensar no meio ambiente. “Infelizmente o meio ambiente está se esgotando diariamente com o excesso de poluição, desmatamento, indiferença em relação a reciclagem e a vida sustentável”. 

Mudar as atitudes em busca de um mundo mais sustentável é a ação indicada para a maioria da população. Outro passo importante seria criar o hábito de se planejar financeiramente. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *