ID JOVEM: O documento que garante desconto em viagens interestaduais

Conheça a identidade que garante acesso gratuito para jovens em eventos culturais, artísticos, esportivos e em transportes interestaduais

Muitos jovens utilizam o Centro de Referência da Assistência Social ( Cras) para receber auxílio em bolsas de estudos. O uso desse cadastro é uma porta paro o ID Jovem. O Cras é uma unidade pública estatal descentralizada da política de assistência social, responsável pela organização e oferta dos serviços socioassistenciais nas áreas de vulnerabilidade e risco social dos municípios. 

O ID Jovem é um programa da secretaria da juventude para garantir ao jovem de baixa renda o acesso a transporte interestadual, à cultura, a isenção de taxas,  entre outras coisas. Para realizar o cadastro é necessário ter o NIS, que é o número do cadastro no Cras.

Dayana Silva, 23 anos, produtora audiovisual, se inscreveu no Cras em 2017, para conseguir uma bolsa de estudo. “Eu me inscrevi numa seleção de mestrado em outro estado e não tinha condições de pagar a passagem de avião, fiquei sabendo do ID Jovem e fui atrás”.

O documento visa a promoção do acesso ao lazer e à cultura, possibilita também o acesso aos benefícios de meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos. Jovens entre 15 e 29 anos têm o direito de aderir ao programa, contanto que a renda per capita mensal dos que moram na sua casa seja de até dois salários mínimos. 

Amanda da Motta, 24 anos

Amanda da Motta, 24 anos, operadora de máquina, conta que sempre teve o cadastro no Cras para isentar o valor das inscrições em vestibulares. “Para mim é o melhor  programa que tem, fui do estado de São Paulo até a divisa do Paraná, e paguei só o seguro de vida que era R$ 1,50. Após um tempo fui para Curitiba, ida e volta, e não passou de R$ 15. E de Curitiba para Joinville ficou em torno de uns R$ 3,  toda vez que uso pego sempre passagem 100%, só se programar certinho para comprar antes do tempo que consegue, não tenho do que reclamar”. 

Para conseguir realizar o cadastro no Cras e consequentemente obter o número do Nis, é preciso marcar um agendamento para ouvir uma palestra de orientação, depois será marcado o dia do cadastro, a pessoa responsável (preferível ser a mãe) deve estar munida de todos os documentos dos moradores da residência para finalizar o cadastro.

Dayana conta que por meio do programa conseguiu a isenção de taxas de  provas. “Pelo programa eu também consegui isenção em taxas de provas de concurso que também não teria condição de pagar todas. A meia-entrada no cinema foi tudo pra mim no período que eu não estava estudando. São esses subsídios que sabemos que não resolve o problema da falta de democracia no acesso, mas melhora bastante.

O cadastro no Cras precisa ser atualizado  no período de dois anos ou quando houver mudança na renda, morte, ou mudança de endereço. Em muitas cidades a mudança no sistema demora de três a seis meses para ser efetivado.

Glabrielli Viana Mota, 19 anos

Glabrielli Viana Mota, 19 anos, estudante, conta que usufrui do ID Jovem para viagens. “Uma das primeiras preocupações quando iniciei a faculdade foi o valor da passagem pra eu estar indo e voltando pra casa, então em um grupo que eu estava no whatsapp um pessoal comentou que tinha como conseguir desconto nas passagens interestaduais, ou ainda conseguir elas 100% gratuitas, tendo que pagar apenas a taxa de embarque, então eu fui pesquisar e achei o ID Jovem.” 

Pela lei Lei Nº 12.852, de 5 de agosto de 2013, cada empresa tem o direito de emitir apenas uma passagem por semana para o programa, é necessário que a pessoa interessada em viajar veja a disponibilidade da passagem no site da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). 

Para Dayana foi mais fácil conseguir o ID. “Para mim foi um pouco mais fácil o cadastro, porque há uns anos eu ganhei um prêmio, e um dos requisitos foi necessário que o serviço social da prefeitura fosse até minha casa para me cadastrar,  então minha mãe já tinha NIS e foi só necessário atualizar”. 

De acordo com o governo, a ID Jovem existe no formato impresso e também via aplicativo, que pode ser baixado no sistema operacional Android e IOS. Já o cadastro para o programa deve ser realizado pela internet ou pelo aplicativo.

Na opinião de Glabrielli o principal feito deste programa é o acesso à cultura. “Ele permite que a gente tenha acesso  a cultura do nosso país que é enorme, seja viajando ou usando pra pagar meia-entrada em eventos. Além de que, como no meu caso, muitos usam pra poder ir e voltar para casa nas férias e recessos da faculdade, então ele acaba dando possibilidades de mobilidade que muitos talvez não teriam condições de ter.”

O site do ID Jovem emite um cartão virtual  com validade de 180 dias após a sua emissão. Expirada sua validade, será necessário emitir novo cartão, quando serão verificados novamente os requisitos para ser beneficiário do programa. Caso alguma empresa recuse o benefício do programa, basta o jovem solicitar justificativa formal da recusa por escrito, que deve constar a data, hora, local e motivo da recusa. Em seguida, poderá realizar uma denúncia na ouvidoria da ANTT, pelo site da agência, ou pelo Disque 166.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *